sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Adeus ano velho, feliz ano novo

É, o ano está acabando... E isso só pode me remeter a uma coisa: festas! E duvido que para a maioria das pessoas essa concepção seja diferente, porque as únicas coisas que acontecem nessa época, são elas, as comemorações e celebrações. Toda a família unida, feliz, todos deixando as preocupações de lado, tudo uma beleza. Mas quais são as garantias de que o próximo ano vai ser como as festas? Ninguém está imune às brigas, dívidas, infelicidades, e quaisquer coisas negativas e desagradáveis. Então porque todos querem renovar seus votos, se livrar de coisas antigas e lembranças do passado? Isso não faz sentido.
Eu não estou dizendo que sou totalmente contra esse tipo de prática, mas não faz sentido as pessoas se iludirem com a fantasia de que com a simples mudança de anos suas vidas vão mudar e tudo será melhor. Se a mudança não ocorrer dentro de casa indivíduo, ninguém sai do lugar.
Está na hora das pessoas pararem para refletir sobre como estão agindo com as outras pessoas, e o que elas podem mudar para os anos seguintes. Se cada um parar e fizer isso, podem tornar muitos anos por aí realmente prósperos e bons.
Um feliz natal e próspero ano novo a todos!

domingo, 28 de novembro de 2010

Escreva aqui seu status.

Tinha as mãos sujas. Não de sangue, nem de suor. Era de culpa. Por ter destruido tudo. Tudo que demorou para construir. Destruiu seus próprios sonhos, por não saber domar a criatura que habitava seu interior.
Criatura altamente destrutiva. Com fome de gente, com fome de felicidade, com fome de amizade.
Percebendo como esse monstrinho destruia sua vida, escondeu-se dentro de si. Nas profundezas de seu inconsciente.
Aí começou a procurar motivos para rir, porque mesmo tendo se livrado do destruidor, seu mundo ainda estava sendo reinado pelo caos.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Quando não te olho nos olhos, é mais fácil te enxergar de verdade.

sábado, 31 de julho de 2010

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Esperando tanto de uma pessoa só, sei que minha decepção será cortante como lâmina. Das bem afiadas.

sábado, 17 de julho de 2010

Sorrir...

...É algo tão simples e algo tão mágico ao mesmo tempo!

Sorrisos me encantam, assim como um belo céu estrelado. Me encantam a ponto de achar um bom sorriso indispensável numa pessoa. (Cuide dos dentes se quiser ser meu amigo.) Ok, talvez não chegue a tanto.
Admiro pessoas que conseguem sorrir mesmo depois de passarem por coisas horríveis, ou por situações difíceis. Pessoas que conseguem esconder os problemas atrás de um grande sorriso.
E além do mais... Hoje em dia é fácil encontrar pessoas que julgam outras por sorrirem muito. As acham loucas, estranhas, bobas.
Mas são apenas felizes.

Gelo:

O que me consome, dos pés à cabeça; dos cabelos às unhas; dos olhos à alma.
O que me torna fria. Me faz esquecer o que é um sorriso ou o próprio amor. Tristeza. É o que pode ser confundida com frieza. Porque com a presença de ambas, a felicidade (como nós conhecemos) não existe.
O que pode transformar duas vidas quentes em paraísos congelados. Porque há a reciprocidade de sentimentos negativos e frios, e entre os dois pode ser criado um grande muro. Um muro que só se derruba com a chegada de uma coisa: reflexão. Pensar e perceber que o que existia antes do muro de gelo era melhor. Para todos.
Mas... Sabendo de tudo isso, por que eu ainda não consegui lutar contra?

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Clarice: TE AMO!

Exagerada toda a vida: minhas paixões são ardentes; minhas dores de cotovelo, de querer morrer; louca do tipo desvairada; briguenta de tô de mal pra sempre; durmo treze horas seguidas; meus amigos são semi-irmãos; meus amores são sempre eternos e meus dramas, mexicanos!
Clarice Lispector

Nunca pensei em intensidade como um problema. Mas quando eu comecei a perceber que isso realmente era um problema, eu mudei completamente meu modo de ver as coisas.
Clarice Lispector traduz exatamente o que concluí com minha reflexões: quando eu gosto de alguém, é um sentimento intenso, constante, muito difícil de se abalar; quando não gosto de alguém, dificilmente alguém consegue mudar minha opinião, é algo totalmente pessoal; quando eu estou triste, me isolo, fecho a cara, trato mal todos ao meu redor, choro, me desespero; quando eu estou feliz, pulo, canto, sinto a necessidade de ser carinhosa com todos ao meu redor, sorrio e acho todos lindos.
Algo que me irrita (e muito) à respeito dessa intensidade, é que eu não consigo esconder meus sentimentos. Por exemplo, eu não consigo esconder quando estou triste. E quando estamos tristes, queremos ficar isolados, acabamos com qualquer possibilidade de conversa, e as pessoas vêm nos perguntar o motivo de toda essa tristeza. Como eu posso responder? Com uma mentira, é claro! "Eu estou bem", "Não aconteceu nada", "Estou apenas cansada, não se preocupe".
Amo meus amigos, e sim, morro de ciúmes deles.

Post dedicado a Maria Paula, que me inspira com nossas conversas.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Luiza, minha musa inspiradora

(hahaha)

É... Eu odeio saber exatamente o que fazer pra te ajudar e não poder fazer nada.
Saber (boa parte) do que passa pela sua cabeça, e não poder opinar. Saber o que você quer e não poder te dar. Saber exatamente como você se sente, porque também me sinto assim, e não poder conversar com você pra te ajudar.
Por que eu não consigo? Boa pergunta. É um misto de medo, vergonha, ou até falta de capacidade.
Porque eu sei como você reage às pessoas que tentam te ajudar. Você é muito forte pra precisar de alguém, não é?

Você sabe

Sabe que eu faria de tudo por você.
Sabe que eu te amo, muito mais que a qualquer outra pessoa.
Sabe que eu te acompanho sempre, que você está acima de tudo na minha vida.

Então por que você ignora isso? Ok, eu entendo sua confusão e tudo mais, mas poxa vida!

domingo, 9 de maio de 2010

You’re what she came for

"I got a question for you
I got a question for you
Where did you get your name from?
Where did you get your name from?
I got a question for you
Where do you see yourself in five minutes time?

With a laugh like that
or a look like that
You make us all feel gauche
Like it’s a sweaty joke but
With a laugh like that
and a look like that
You make us all just go La la la la woah

Look out
You’re what she came for
You’re what she came for
No question, no doubt
You’re what she came for
Knows what she came for
No question, no doubt

I got a question for you
Another question for you
Oh do you feel the
Do you feel the pressure
Why you’re wearing what you’re wearing
Where will your life be gone in five minutes time?

So say something stupid
You know that you love to"

Tic Tac do Relógio

Ouço os batimentos do seu coração e só posso pensar em uma coisa: por que continuam a tirar meu sono?
Parem! Parem! Parem! Você não pode mais fazer isso comigo. Nunca mais.
















You.

She moves in her own way

“Eu quero que um dia você faça algo pra mim ou por mim, que será a razão desses sentimentos meus por você. Que me faça feliz.

Não sei como fazer você feliz.

Você vai saber… Ou perceber.

Acho que um dia descubro uma maneira de fazer algo por ti. Preciso descobrir mais sobre você e saber seus gostos.

Eu gosto de você. Isso importa.”

Can’t you see?

________

*Conversa realizada em 29/04. Postada inicialmente no Tumblr, em 07/05.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Black Holes and Revelations

"Um buraco negro clássico é um objeto com campo gravitacional tão intenso que a velocidade de escape excede a velocidade da luz. Nem mesmo a luz pode escapar do seu interior, por isso o termo "negro" (cor aparente de um objeto que não emite nem reflete luz, tornando-o de fato invisível). O termo "buraco" não tem o sentido usual, mas traduz a propriedade de que os eventos em seu interior não são vistos por observadores externos."
Não preciso da ciência nesse momento pra explicar isso. Você é um buraco negro, ou pelo menos tem um dentro de si.
Você suga tudo que pode do meu ser, você faz coisas imensas desaparecerem rapidamente. E de onde tira sua força, de onde você surge? São perguntas cujas respostas nem a ciência pode nos dar.
"Nem mesmo a luz pode escapar do seu interior". Realmente. Toda a luz um dia transmitida por mim, simplesmente some dentro de você.

 Chega de textos totalmente emotivos. Chega de deixar você ganhar sempre. Agora é a hora do acerto de contas. Você vai ver que eu sou mais do que pareço ser.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Os outros, são apenas os outros

Nada mais faz sentido nesse momento, além de nós.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Um Quebra-cabeças chamado eu.

E de repente você se sente confortável de novo. É uma velha sensação, mas que aparece de forma diferente. Não sei como explicar, mas você não está animada, não está feliz, não está contente. Apenas confortável, aliviada.
E pequenas coisas te fazem dar risada, como jamais fariam. Mas você não está feliz, é a nova forma de se manifestar do seu alívio instantâneo.
Geralmente ao fim de cada dia, eu faço um balanço de tudo que me aconteceu. E hoje foi um dia... Normal, mas nem tanto. Certas notícias, comentários e conversas fizeram com que eu refletisse um pouco sobre certos assuntos.
Digamos que... Há setas indicando o caminho que devo seguir, mas cada uma pra um lado. Que lado eu devo escolher? O que meu coração me diz pra ir em frente? O que a minha parte "consciente" me diz pra seguir? Ou um totalmente inusitado, pra seguir por um terreno totalmente desconhecido?
Perguntas, perguntas. Quando finalmente terão suas merecidas respostas?

Declaração de um de nós. Ou de todos.

"não sei como lidar com as pessoas"

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Só uns devaneios antigos...

"Sabe quando sentimos aquela chata e velha sensação de perda, sendo que algo que nos causou isso nunca realmente nos pertenceu?
Pois é... Às vezes essa sensação é substituída por uma de conforto, proteção. Mesmo que causada por pessoas a kms de distância, é suficiente pra nos fazer esquecer certas mágoas e certos temores.
Engraçado como pessoas importantes - mesmo que depois de muito tempo - conseguem nos alegrar até nos momentos mais tensos. Os amigos bobinhos, as amigas promíscuas, os amigos de papo inteligente, as paqueras... Todos especiais em suas maneiras.
E até o inicial causador da sensação de perda consegue nos fazer feliz, mesmo de seu hábitat natural. (Que é longe do nosso)
Nós paramos para ouvir nossas velhas músicas. Aquelas que até cansamos de ouvir. E lembramos de como elas desempenham papéis importantes em nossas vidas. Quando parece que sozinhos não conseguimos o que queremos de primeira, elas vêm e nos mostram que podemos utiliza-las e podemos ser felizes." É.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Passado, presente ou futuro.

Quarenta anos após sua adolescência, ela parou para pensar: Havia tido sonhos e lutado por eles? Havia corrido atrás de quem realmente era importante?
Olhou seus netos brincando no quintal e começou a imaginar se tudo tivesse sido diferente, se tivesse corrido atrás de seus sonhos, se tivesse dado a devida importância aos amigos e aos amores. Será que estaria realmente feliz? Não que a vida monótona e futil que possuia fosse ruim... Ela não queria mais do que isso. Ou será que queria? Será que sonhava em ser outra pessoa, em ter outra vida? Não, sonhos não faziam parte de seu mundo. Apenas o marido que a traia constantemente (com mulheres mais jovens), e os filhos e netos que amavam seu carro, sua casa, ir viajar com ela. Mas e a querida avó que havia criado e educado todos seus descendentes? Havia criado era um bando de criaturas pré-programadas e com corações duros como pedras.
O grande amor de sua vida chegou de forma certamente inesperada, e dela custou a sair. Um amigo da - na época - garota fez o favor de atar um nó que - diga-se de passagem - era realmente um . Tão difícil de desatar, que só o tempo o fez. E haja tempo!
Ela não desistiu até ter o que queria. E a filha que morreu num acidente de carro foi fruto desse amor. Mas felizmente ela deixou parte de si, que mora com seu ex-marido.
Seria até interessante se não fosse trágico. Mas... Deixa eu pensar num modo de encontrar o amor de minha vida.
Talvez dobrando a esquina, talvez bem longe de casa. Provavel que seja daqui 3 anos, ou até 30.
Nunca se sabe quando e onde você encontrará o que quer.
O amor da minha vida não me quer. E continuemos, sempre me espelhando nela. Ou será que é o contrário?

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Odeio...

... Quando faço de tudo para que algo aconteça, e você simplesmente lute para que aconteça tudo ao contrário. 
Desisto de tentar declarar algo. Você sempre instável muda o rumo de cada história. 
Se digo que você não está aqui, você aparece. Se digo que você não se importa comigo, você simplesmente mostra o oposto.
Desisto. Não vou mais tentar entender sua mente.

And I keep pretending.

I'll never stop.

Time to write about someone else...

Na verdade, escrever sobre essa pessoa por aqui é novidade, e ao mesmo tempo não é. Eu gosto de fazer descrições me referindo sempre à uma pessoa só, mas eu sempre me baseio em várias. Então, essa pessoa já foi "citada" aqui.
Ele me disse "confie em mim", e assim o fiz. Mas de que adiantou, me diz? Há horas que não ouço sua voz, suas doces palavras, há horas que você não se lembra de minha insignificante existência.
Eu não sei o que me fez pensar que dessa vez seria diferente. Água não muda pro vinho.

E então você me faz parecer insana e traz à tona suas doces palavras. Ou não tão doces assim.